SÍMBOLOS HERÁLDICOS 

Brasão: escudo de verde, com uma faixa ondada de prata e azul de três tiras, acompanhada de um mundo crucífero e de uma roda de tear, ambas as figuras de ouro, realçadas de negro. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: “GONDAR – CAMINHA”.

Bandeira: branca. Cordão e borlas de prata e verde. Haste e lança de ouro.

Selo: nos termos da Lei, com a legenda: “Junta de Freguesia de Gondar – Caminha”.

Simbologia do brasão de Gondar

 A faixa ondada de prata e azul de três tiras, representam os cursos de água existentes na freguesia, como por exemplo, o rio Juncal.

O mundo crucífero está a lembrar o orago Divino Salvador, ou seja o padroeiro de Gondar.

A roda de tear, simboliza a tradição do linho e os aspetos agrícolas da freguesia  no seu todo.


 

Parecer emitido em 22 de Julho de 2004, pela Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses.

Em 20 de Setembro de 2004, o Parecer, por proposta desta Junta de Freguesia, foi aprovado em sessão da Assembleia de Freguesia de Gondar.

Processo  e desenho elaborado por Carlos Alberto Mouteira Fernandes  no ano de  2002.

 



Brasão: escudo de azul, roda de azenha de prata lavrada de negro, entre duas lisonjas de ouro, tudo alinhado em faixa; em chefe, palma de ouro posta em faixa e, em campanha, faixeta ondada de prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: “orbacém”.
 

Bandeira: amarela. Cordão e borlas de ouro e azul. Haste e lança de ouro.
Selo: nos termos da Lei, com a legenda: “Junta de Freguesia de Orbacém – Caminha”.

Simbologia do brasão de Orbacém

A palma de ouro, sendo um símbolo do martírio, está a representar Santa Eulália, a padroeira de Orbacém.

As rodas de azenha simbolizam os moinhos e azenhas de Orbacém e o labor agrícola do seu povo, essencialmente no seu passado.

As lisonjas são a representatividade das minas, exploração de minérios (volfrâmio, estanho e outros), na economia ancestral das famílias desta freguesia.

A faixeta ondada está a representar os cursos de água de Orbacém, como por exemplo, o rio Âncora.


Parecer emitido em 11 de Setembro de 2002, pela Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses. Em 20 de Setembro de 2002, o Parecer, por proposta desta Junta de Freguesia, foi aprovado em sessão da Assembleia de Freguesia de Orbacém.
Publicado em Diário da República.
Processo e desenho elaborado por Carlos Alberto Mouteira Fernandes no ano de 2001
Gondar e Orbacém no Facebook

966 675 664
jfgondareorbacem@sapo.pt
 
Notícias
TAGS POPULARES

facebook

facebook

facebook

Tempo em Caminha